sexta-feira, 31 de agosto de 2007

O perfil de um vencedor


Todos nós, com exceção daqueles que enveredam pelo mundo das drogas, do crime e se perde no vício ou na prostituição, somos vencedores. Alguns, porém, são exemplos incontestáveis de que a vitória lhes sorri com feições de mãe caridosa. Esses homens e mulheres não passam despercebidos na multidão. Destacam-se e são exemplo para aqueles que, vez por outra, fraquejam diante das provações da vida. Por sua garra e perseverança são mais do que influências, se tornam lideres.

Conheço uma pessoa assim e hoje fui testemunha de mais um degrau ascendido por ele. Falo de Marcos Vicentti, que foi empossado esta manhã como presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Acre (Sinjac). Quem o conhece e priva de sua amizade não discordará do meu testemunho.

Conheço esse jovem senhor há onze anos. Quando iniciei no Página 20, lá por volta de 1996, o Marcão era entregador de jornais e motorista da viatura que usávamos. Grandão e desengonçado, já trazia consigo o faro apurado para a boa notícia. Ele se interessava por fotografia, mas nunca tinha feito alguma de forma profissional até que um dos diretores do jornal, o José Severiano, lhe deu uma câmera Yashica TTL de 35 milímetros, deu algumas dicas e lhe disse: quando você tiver passando por aí com um dos repórteres, faz umas fotos aí até que a gente possa contratar um fotógrafo. Daí por diante ele nunca mais parou de fotografar e hoje é um dos melhores fotógrafos do Acre.

Assim, resumidamente, essa é a história profissional do Marcão. Mas o que contei acima não reflete o verdadeiro perfil de vencedor que o Marcão tem. Há que retroceder um pouco mais para lembrar que Marcão tem uma rápida passagem pelo movimento comunitário em Rio Branco, mas que fez história. Foi ele um dos fundadores do bairro da Paz, hoje um dos mais populosos da capital. Nessa época ele era um jovem rebelde e também conheceu um pouco do mundo das drogas, viveu no submundo, mas soube sair dele com dignidade e se tornar um homem respeitado diante da sua família e perante à sociedade.

Quando iniciou no Página 20, o Marcão tinha mal as cinco primeiras séries do ensino fundamental. Ao ascender na profissão, ele sentiu que precisava de um pouco mais de conhecimento. Fez ensino Supletivo e concluiu o primeiro grau. Novamente correu atrás do prejuízo. Estudou, fez provas do Seja e concluiu o ensino médio. Foi mais além: fez vestibular para Jornalismo no Iesacre e deve concluir o curso já no próximo ano.

Digam, caros leitores, a pessoa que descrevi é ou não é um vencedor?

Sei qual é a resposta, mas vou dar mais argumentos para que saibam porque tenho tanta admiração por esse profissional.

Por muito tempo formei dupla com o Marcão. Fazíamos matérias juntos, as pautas eram quase sempre propostas por ele. Aliás, não conheço ninguém que tenha visão tão apurada para as boas pautas.

A primeira grande reportagem que fizemos foi da cobertura da maior enchente que o Acre já viveu, a de 1997. Entramos nos charcos do rio, nos molhamos nas águas fétidas das ruas alagadas e registramos o sofrimento de quem passou por aquela tragédia e o trabalho de quem ajudava na resgate da famílias. Confesso com uma ponta de orgulho: aquele foi um dos melhores trabalhos que já fiz. E as fotos foram as melhores de toda a cobertura jornalística do Estado, disso não há dúvida.

Assim como eu, outros profissionais também trabalharam com ele e acredito têm por ele a mesma admiração.

O trabalho do Marcão já correu o Brasil em exposição fotográfica produzida pela Brasil Telecon. A mesma empresa também lhe financiou um livro belíssimo que acredito ter sua edição esgotada.

Mas o coroamento do seu trabalho veio com a premiação no José Chalub Leite, o mais importante prêmio de jornalismo do Acre, que é promovido pelo Sinjac há oito anos. O Marcão venceu duas vezes e recebeu duas menções honrosas. E também foi parceiro em quatro premis da versão impressa, entre outros prêmios nacionais.

No último dia 22, ele e a repórter Renata Brasileiro, receberam em São Paulo uma homenagem pela reportagem que fizeram sobre a Reserva Estadual do Chandless, em 2006. Foram agraciados com o segundo lugar no Prêmio Bracelpa de Desenvolvimento Sustentável, promovido pela Associação Brasileira de Celulose e Papel. O prêmio contou com 390 inscritas. Para se ter idéia do que representou esse prêmio, o Marcão e a Renata perderam apenas para a Folha de São Paulo e ficaram à frente de veículos como a Diário do Nordeste, e outros que têm estrutura bem maior do que o Página 20 pode oferecer.

Trabalhamos juntos ainda. Agora eu sou o editor-chefe do Página 20 e o Marcão repórter fotográfico. Mas sonho com o dia em que atuarei novamente como repórter. Quando isso acontecer quero tê-lo novamente como parceiro, pois sei que mais do que boas matérias, estarei aprendendo mais sobre minha profissão e sobre a própria vida.

Como seu amigo, Marcão, finalizo lhe parabenizando por essa nova etapa da sua vida. Espero que seu crescimento profissional e pessoal siga muito mais adiante e saiba serei sempre um dos seus mais fiéis admiradores.

4 comentários:

Anônimo disse...

Tião,

belíssimo seu texto sobre o Marcão. Sem dúvida ele é uma estrela e nos orgulha profundamente de ser hoje nosso presidente, assim como foi Raimundo Afonso, outro exemplo de benção para nossa categoria.

Parabéns pelo blog e que Deus continue abençoando sua profissão e sua vida como um todo.

Bjs da amiga Silvânia Pinheiro

Anônimo disse...

Tião,

belíssimo seu texto sobre o Marcão. Sem dúvida ele é uma estrela e nos orgulha profundamente de ser hoje nosso presidente, assim como foi Raimundo Afonso, outro exemplo de benção para nossa categoria.

Parabéns pelo blog e que Deus continue abençoando sua profissão e sua vida como um todo.

Bjs da amiga Silvânia Pinheiro

Rachel disse...

Eu não disse Tião que tu é poeta... Só não escreve em rima, mas sabe dar vida as letras... A prova disso é esse belíssimo texto sobre o nosso querido Marcão. Aliás, deixo aqui uma mensagem especial ao meu querido amigo e companheiro de tantas viagens durante minha maravilhosa passagem pelo pagina... Infelizmente, como todo brasileiro que se preze, deixei para a última hora o aditamento do meu Financiamento Estudantil e tive que passar a manhã na Caixa Econômica (hoje era o último dia para fazê-lo) e não pude estar presente neste momento tão singular. "Marcão você por si só já é uma pessoa maravilhosa, como presidente do Sinjac tenho certeza que será muito mais. Boa sorte amigo! Você merece tudo de bom!

Cartunista Braga disse...

Porra, Tião, tu não deixou nenhuma palavra ou história do Marcão, pra gente poder usar. Arre égua!" Agora, o jeito é só concordar contigo, saco!
A não ser que eu conte a história da mulher do bombeiro, do cadeado do jornal, do...